Renda fixa, como investir

Renda fixa é um investimento que lhe devolve um pagamento em períodos de tempo ou datas previstas. Os mais comuns são pensões, títulos e empréstimos. A renda fixa também inclui certificados de depósito, contas de poupança, fundos do mercado monetário e também anuidades. Você também pode investir em títulos de renda fixa com fundos mútuos de títulos, fundos negociados em bolsa e derivativos de renda fixa.

O investimento em renda fixa tem uma importância fundamental para todos os investidores que buscam uma carteira de investimentos equilibrada, porém ainda rentável. Embora muitos considerem os investimentos de renda fixa menos glamurosos do que o mercado de ações, onde parece ter uma energia maluca, a previsibilidade de investir em um título ou outro título de renda fixa é útil. 

Em particular, quando você paga uma quantia fixa em troca de pagamentos periódicos de juros e a promessa de receber seu principal de volta no vencimento, é possível saber exatamente seu fluxo de caixa futuro e, assim, estruturar seu portfólio para atender às suas necessidades financeiras, de acordo com seus planos de vida, por exemplo.

Até mesmo os investidores inexperientes podem navegar no mercado de renda fixa e encontrar investimentos que sejam seguros, que tragam lucros e que atendam às suas necessidades.

 

O que é um investimento de renda fixa?

Os investimentos típicos de renda fixa incluem títulos, certificados de depósito bancário e também obrigações parecidas. A renda fixa quase sempre envolve acordos que se assemelham a empréstimos, nos quais um devedor aceita o dinheiro dos investidores antecipadamente e promete pagá-los posteriormente.

A grande parte dos investimentos em renda fixa obriga o mutuário a fazer pagamentos de juros ao investidor em intervalos regulares. No entanto, alguns investimentos de renda fixa são conhecidos como títulos de juros zero e não incluem pagamentos de juros. Em vez disso, o mutuário aceita um valor descontado antecipadamente e paga um valor maior no vencimento. 

Por exemplo, para um título de juros zero de cinco anos com taxas de juros de aproximadamente 2%, o investidor pode conceder ao mutuário R$ 900 no início do período em troca de uma promessa de receber R$ 1.000 daqui a cinco anos quando o título vencer.

 

Vantagens da renda fixa

Veja as principais vantagens de se investir em renda fixa.

 

  • Segurança: o investimento em renda fixa é mais seguro, tanto quanto a poupança. Os investimentos possuem o Fundo Garantidor de Credito (FGC) que garantem até R$ 250 mil, para o caso de a corretora quebrar.
  • Acessibilidade: qualquer pessoa com aporte inicial de R$ 30,00 a R$ 100,00 pode começar a fazer investimento em renda fixa.
  • Facilidade: esse tipo de aplicação é muito simples, e todas as negociações podem ser feitas de forma online, onde você investe o seu dinheiro sem sair de casa.
  • Rentabilidade: além de tudo isso, a rentabilidade das aplicações em renda fixa são estáveis e recorrentes, o que é ideal para quem possui o objetivo de formar patrimônio ou para que tem o objetivo de viver de renda.
  • Liquidez diária: existem títulos em renda fixa que possuem liquidez diária, como CDBs, LCI/LCA e Tesouro direto. Algumas delas permitem o resgate a qualquer momento, o que é ótimo para a reserva de emergência.
  • Isenção: alguns dos investimentos em renda fixa possuem isenção de impostos, como o LCI e o LCA. O que pode ser bem atrativo.

 

Quais riscos os investimentos de renda fixa carregam?

A maioria dos investidores vê os investimentos em renda fixa como muito menos arriscados em comparações com as ações, e é verdade que a renda fixa é muito mais previsível que os investimentos em ações. Porém, a renda fixa tem seus próprios riscos. Eles incluem:

Risco padrão: se algo acontecer ao mutuário, talvez ele não seja capaz de reembolsar o empréstimo, deixando-o com uma perda.

Risco de taxa de juros: se as taxas de juros prevalecentes se elevarem muito, você ficará preso a um investimento de renda fixa de baixa taxa até o vencimento final. As taxas crescentes também costumam fazer com que os preços dos investimentos de renda fixa no mercado secundário caiam.

Risco de inflação: a renda fixa envolve negociar dinheiro agora com a promessa de receber dinheiro no futuro. No entanto, a inflação alta pode corroer o poder de compra do dinheiro que você recebe do mutuário no futuro. Alguns investimentos de renda fixa possuem provisões que permitem ajustes com base na inflação, mas a maioria deixa o investidor exposto ao risco de inflação, o que é preciso ser avaliado.

Além disso, outros riscos específicos podem ser aplicados a certos títulos de renda fixa. Por exemplo, alguns títulos incluem provisões de compra que permitem ao tomador pagar antecipadamente o empréstimo. 

Isso pode até parecer uma coisa boa para o investidor que procura mais segurança, mas os mutuários normalmente realizam essa opção somente quando as taxas de juros aumentam, e isso pode fazer com que os investidores se apressem em encontrar alternativas e, muitas vezes, tendo que aceitar menos renda em um novo investimento, para não deixar parado seu capital.

Os títulos de renda fixa oferecem uma diversificação valiosa para carteiras de investimentos pesadas em ações de alto risco. A renda fixa tem seus próprios riscos, mas a maioria dos investidores acha útil ter algum equilíbrio entre renda fixa e outros investimentos em suas carteiras.

 

Tipos de Renda Fixa

Existem duas grandes categorias de investimentos em renda fixa. Os produtos de curto prazo retornam uma taxa baixa, mas você só compromete seu dinheiro por alguns meses, no máximo. Os produtos de longo prazo pagam uma taxa mais alta, mas você deve deixar seu dinheiro investido por anos.

 

Curto prazo

As taxas de juros dessas contas são baseadas na taxa dos fundos federais ou em taxas equivalentes de letras do Tesouro de quatro anos ou menos. Para obter um rendimento mais alto, os investidores individuais passaram de investimentos de curto prazo para investimentos de longo prazo. As empresas usam empréstimos de curto prazo para cobrir o fluxo de caixa necessário para pagar as operações do dia-a-dia.

    Contas de poupança: o banco paga uma taxa de juros fixa, com base na taxa dos fundos informados. Você pode adicionar ou retirar quando quiser.

    Contas do mercado monetário: o banco paga uma taxa de juros fixa ligeiramente mais alta. Em troca, você deve manter um valor mínimo depositado. Você está limitado no número de transações que pode fazer em um ano.

    Certificados de depósito: você deve manter seu dinheiro investido por um período acordado para obter a taxa de retorno prometida. 

    Fundos do mercado monetário: são fundos mútuos que investem em uma variedade de investimentos de curto prazo. Você recebe uma taxa fixa com base em títulos de curto prazo. Isso incluiu títulos do Tesouro, notas de agências federais e depósitos em eurodólar. Eles também incluíram acordos de recompra, certificados de depósito e papel comercial corporativo. Eles também se baseiam em obrigações de estados, cidades ou outros tipos de agências municipais. 

    Fundos de obrigações de curto prazo: Estes fundos de investimento investem em obrigações de baixo risco de um ano a quatro anos. A maioria de suas participações são de títulos corporativos.

 

Longo Prazo

Os investimentos de renda fixa de longo prazo são chamados de títulos. Eles são como as organizações obtêm empréstimos substanciais. Ao contrário dos empréstimos, os títulos podem ser comprados ou vendidos como qualquer título. As taxas de juros dessas contas seguem as notas e títulos do Tesouro. A taxa depende da duração do título. 

Os preços dos títulos caem quando os preços das ações sobem. Os títulos têm menor retorno e menor risco que as ações. Os investidores os compram quando querem evitar riscos.

Aqui estão os diferentes tipos de títulos de longo prazo.

    Os títulos do governo são os mais seguros porque são garantidos. Por serem as mais seguras, oferecem o menor retorno. Por exemplo, as notas e títulos do Tesouro dos EUA  são os mais populares, com US $ 10,4 trilhões em circulação. Os títulos de poupança também são garantidos pelo Tesouro dos EUA. Eles são projetados para investidores menores. Os títulos municipais, com US $ 3,8 trilhões em circulação, são vendidos pelas cidades.

Os títulos corporativos oferecem uma taxa mais alta. As empresas as vendem quando precisam de dinheiro, mas não querem emitir ações. Atualmente, existem US $ 8,1 trilhões nesses títulos em circulação.

Existem dois híbridos de títulos e ações corporativas. As ações preferenciais pagam dividendos regulares, mesmo que sejam um tipo de ação. Títulos conversíveis são títulos que podem ser convertidos em ações. As ações que pagam dividendos regulares geralmente são substituídas por títulos de renda fixa. Embora não tenham renda tecnicamente fixa, os gerentes de portfólio geralmente os tratam como tal.

Eurobonds é o nome comum para títulos Eurodólar. São títulos corporativos emitidos em euros, em vez da moeda de seu próprio país ou dólares americanos. 

Os fundos mútuos de títulos são fundos mútuos que possuem um grande número de títulos. Isso permite que o investidor individual obtenha os benefícios de possuir títulos sem o incômodo de comprá-los e vendê-los. Os fundos mútuos garantem maior diversificação do que a maioria dos investidores poderia obter por conta própria. 

A renda fixa é uma modalidade de investimento muito boa para pessoas mais conservadoras, que oferece retornos estáveis e também recorrentes. Por isso, ela costuma ser muito indicada para os investidores iniciantes, para quem não quer ficar refém da poupança. 

Importante citar que as aplicações desta categoria devem estar presentes nas carteiras de todos os investidores, sem exceção. O que pode variar é o percentual alocado em relação à renda variável. 

Mas mesmo antes de investir em renda fixa, compare os benefícios que cada um dos ativos pode oferecer, como rendimento, liquidez e prazo de vencimento, e também como isso pode afetar sua vida pessoal

Mesmo com o momento atual da economia, é indicado investir em renda fixa, por ser muito vantajoso, principalmente para os médios e longos prazos. Assim, mesmo com o corte da Taxa Selic prevista, é possível obter bons rendimentos.

Porém, como sempre você deve tomar as suas decisões considerando seus objetivos e perfil de investidor. 

 

Onde investir

Para fazer investimento em renda fixa, você pode fazer através de corretoras de valores, ou bancos. Cada instituição bancária ou corretora pode cobrar uma taxa diferentes da outra e por isso você deve procurar as mais rentáveis e a que te dá maior liberdade, já que o investimento é seguro

Opção por fazer o investimento atravéz de bancos públicos podem ser mais seguro, nem tanto mais flexível, mais é de maior segurança, já que o dinheiro é uma modalidade de empréstimo que você faz para instituiçoes que inclui o tesouro nacional.